Como consequência da saída da União Europeia, o governo do Reino Unido revelou mais detalhes sobre as novas regras de imigração, as quais devem entrar em vigor a partir de 1º de janeiro de 2021. A livre circulação deixará de existir e os habitantes da UE deverão seguir as mesmas regras dos habitantes de outros países.

Neste momento, qualquer trabalhador de países integrantes do Espaço Econômico Europeu, independentemente de seu salário ou nível de habilidade, tem o direito automático de viver e trabalhar no Reino Unido. Isso mudará quando se encerrar o período de transição pós-Brexit. De qualquer forma, as novas regras não afetarão os cidadãos – sejam eles europeus ou de outras nacionalidades – que já possuem visto e trabalham lá.

Os objetivos principais das novas regras são atribuir os mesmos direitos e deveres a todas as pessoas que desejem aplicar para um visto, independentemente de seu país de origem. Além disso, elas visam reduzir a imigração de profissionais pouco qualificados e atrair aqueles com o denominado “talento adequado”.

O governo também pretende, inclusive, otimizar o processo de “patrocínio” de imigrantes qualificados por empresas para trazê-los mais rápido ao Reino Unido – no caso, em até 8 semanas. A intenção é diminuir ainda mais esse tempo no futuro.

Como funciona?

O novo sistema migratório funcionará com base em pontuação, e o estrangeiro deverá conquistar um mínimo de 70 pontos em uma escala para ter o visto aceito pelo governo. Entre os principais fatores para a aquisição desses pontos estão o nível de qualificação, o salário oferecido e a escassez de mão de obra no setor em questão.

Profissionais “patrocinados” por uma empresa devem possuir uma vaga de trabalho de um patrocinador aprovado, para um trabalho que exija qualificações apropriadas e o nível mínimo de inglês requerido.

Estudantes também deverão seguir o sistema de pontuação, porém devem possuir proposta de uma instituição educacional aprovada, conhecimentos em inglês e comprovação de que conseguem se sustentar financeiramente.

Com o recente relançamento do visto denominado Tier 1, o governo decidiu não utilizar o sistema baseado em pontuação para avaliar profissionais considerados como talentos excepcionais. Ao invés disso, pretende aprovar uma permissão sem patrocínio para um número menor de profissionais altamente qualificados dentro do novo sistema.

Smart decisions. Lasting value.

© 2019 Crowe Macro Auditoria e Consultoria Ltda.
Crowe Macro Auditoria e Consultoria Ltda. is a member of Crowe Global, a Swiss verein. Each member firm of Crowe Global is a separate and independent legal entity. Crowe Macro Auditoria e Consultoria Ltda. and its affiliates are not responsible or liable for any acts or omissions of Crowe Global or any other member of Crowe Global.

Mostrar Aviso