Por meio da Portaria Conjunta INSS/PFE/INSS nº 2/2020, foram definidos procedimentos para implantação/reativação de benefícios por incapacidade decorrentes de decisão judicial. Foram disciplinados, principalmente, as atribuições dos órgãos públicos envolvidos.

Em relação aos segurados, foi determinado que:

I – havendo recurso interposto pelo segurado (autor) das decisões proferidas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o servidor administrativo da APS mantenedora deve seguir as rotinas inerentes ao recurso administrativo;

II – não será admitido recurso administrativo nas seguintes situações:
a) para alteração da Data de Cessação do Benefício (DCB) determinada pelo Poder Judiciário, cabendo apenas a solicitação de prorrogação do benefício nos 15 dias que antecedem a data prevista para sua cessação;
b) para alteração da DCB fixada em 120 dias, cabendo apenas a solicitação de prorrogação do benefício nos 15 dias que antecedem a data prevista para sua cessação; e

III – somente serão permitidos reagendamentos nos serviços elencados na Portaria em fundamento, por requerimento do segurado ou seu representante legal na APS até 7 dias depois da data agendada, nos casos de impedimentos justificados (caso fortuito ou de força maior);

IV – a decisão administrativa do benefício deve ser comunicada ao segurado em conformidade com o disposto no Memorando-Circular Conjunto nº 6/Dirsat/Dirat/Dirben/INSS, de 05.04.2017.

(Portaria Conjunta INSS/PFE/INSS nº 2/2020 – DOU de 19.03.2020)

Smart decisions. Lasting value.

© 2019 Crowe Macro Auditoria e Consultoria Ltda.
Crowe Macro Auditoria e Consultoria Ltda. is a member of Crowe Global, a Swiss verein. Each member firm of Crowe Global is a separate and independent legal entity. Crowe Macro Auditoria e Consultoria Ltda. and its affiliates are not responsible or liable for any acts or omissions of Crowe Global or any other member of Crowe Global.